Operação vistoriou casas de carnes em Montes Claros — Foto: Vigilância Sanitária de Montes Claros/Divulgação

Ação do MP, Vigilância Sanitária e PM cumpriu seis mandados de busca e apreensão em açougues suspeitos de comercializar carne de abate clandestino; dois estabelecimentos foram flagrados com produtos sem certificação.

Por G1 Grande Minas. O Ministério Público de Montes Claros deflagrou nesta segunda-feira (24) mais uma fase de uma operação de combate à comercialização de carne clandestina no Norte de Minas. A ação teve parceria com a Polícia Militar e Vigilância Sanitária e cumpriu seis mandados de busca e apreensão em açougues de Montes Claros. A operação Carne Segura conduziu à delegacia da Polícia Civil um gerente de açougue e apreendeu 1.315 kg de carne suspeita de ter origem de abatedouros não fiscalizados por autoridades sanitárias.
A carne sem certificação foi encontrada em dois dos açougues vistoriados nesta segunda. A prática, de acordo com o MP, é crime contra relações de consumo e pode levar à pena de detenção por dois anos, no mínimo, podendo chegar a cinco anos.
“Vender ou expor à venda carne de origem clandestina, além de infração sanitária e de prática proibida pelo Código do Consumidor, também é crime, motivo pelo qual açougueiros e supermercadistas apenas podem revender carne provinda de abatedouros/frigoríficos legalizados, sob pena de serem multados, terem as mercadorias apreendidas e até mesmo serem presos”, informou o Ministério Público por meio de nota.
O MP informou ainda que nas próximas fases da operação, novos açougues e supermercados vão ser fiscalizados. O Mercado Municipal de Montes Claros também será alvo da operação. De acordo com os órgãos fiscalizadores, no local muitas pessoas adquirem carne de sol considerada produto cultural do Norte de Minas.
Os órgãos de fiscalização pedem ainda que a população se conscientize dos perigos relacionados ao consumo de carne de origem clandestina e que procure estabelecimentos que revendem carne inspecionada. “O comércio de carne sem prévia inspeção sanitária coloca em risco a saúde da população, expondo o consumidor a uma série de doenças, como infecções alimentares e zoonoses”, diz o MP em nota.

Carnes apreendidas durante a operação nesta segunda-feira (24) — Foto: Vigilância Sanitária de Montes Claros/Divulgação

Operação Carne Segura

No último dia 17 de setembro órgãos fiscalizadores deflagraram a primeira fase da operação Carne Segura no Norte de Minas. Na ocasião, abatedouros e câmaras frias foram vistoriados pelo Ministério Público em parceria com diversos órgãos de fiscalização sanitária e Polícia Militar. A equipe esteve em Montes Claros e Glaucilândia. Quatro mandados de busca e apreensão foram cumpridos e couros de animais e instrumentos cortantes foram localizados. Ninguém foi preso na primeira fase.
A apreensão desta segunda-feira é a segunda etapa da mesma operação. A ação foi proposta pelo Ministério Público de Montes Claros, em parceria com a Polícia Militar, Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais, Vigilância Sanitária de Montes Claros e Polícia Rodoviária Federal.

Instrumentos cortantes e couro animal foram apreendidos na zona rural de Glaucilândia — Foto: IMA/ Divulgação