A Secretaria de Saúde de Minas Gerais divulgou, nesta terça-feira (23), que 25 pessoas morreram no estado em decorrência da febre amarela desde dezembro de 2017.
Ainda de acordo com o governo, 22 pessoas têm a doença e estão internadas ou já receberam alta. Oitenta e sete casos aguardam os resultados dos exames.
No sábado (20), foi publicado no Diário Oficial do estado o decreto de situação de emergência em saúde pública por causa da febre amarela em 94 dos 853 municípios. Eles ficam nas áreas de Belo Horizonte, Itabira, na Região Central de Minas Gerais, e Ponte Nova, na Região da Zona da Mata.
A febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido por mosquitos infestados. Em área rural ou de floresta, os macacos são os principais hospedeiros e a transmissão ocorre pela picada dos mosquitos transmissores infectados Haemagogus e Sabethes. Nas cidades, a doença pode ser transmitida principalmente por mosquitos da espécie Aedes aegypti. Não há transmissão direta de pessoa a pessoa.
Os sintomas iniciais da febre amarela incluem o início súbito de febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza.