*Por G1 Grande Minas

Cachorro era cuidado por moradores de uma rua da cidade e foi levado pela Polícia Militar a um veterinário; devido aos graves ferimentos, animal foi eutanasiado em uma clínica.

Um cachorro precisou ser eutanasiado em Pirapora, no Norte de Minas, na tarde desta sexta-feira (18) depois de ser agredido por um gari que presta serviços à prefeitura do município. Segundo informações da Polícia Militar, o homem de 26 anos estava no caminhão de coleta de lixo passando pelo Bairro Morada do Sol. Quando desceu para recolher uma sacola, o animal teria latido na direção do funcionário, que o chutou; com o impacto, o cachorro foi lançado por alguns metros e teve a coluna quebrada. O lixeiro fugiu do local.
Os moradores acionaram a PM minutos depois da agressão. Um vídeo feito por moradores, minutos após o ocorrido, mostra o desespero de uma mulher ao ver o cachorro machucado
A própria polícia encaminhou o cachorro a uma clínica veterinária da cidade. Segundo a militar que acompanhou o animal, ele agonizava muito e o profissional decidiu poupá-lo da dor dos ferimentos. Por volta das 15h30 o cachorro recebeu medicamentos para ser eutanasiado. A polícia informou que os moradores ficaram revoltados e disseram que se revezavam para cuidar do cachorro, que morava na rua, dando comida e água.
A PM fez rastreamentos e encontrou o lixeiro nas proximidades do bairro, ainda em serviço. Para os militares, o homem informou que quando o cachorro latiu, jogou uma bolsa contra ele e que, para se desviar do objeto, o animal bateu contra uma árvore. O funcionário negou ter tocado no animal e não soube explicar como ele teria ficado gravemente ferido. O suspeito foi encaminhado à delegacia da Polícia Civil, que deve investigar o caso. Até a publicação desta matéria, ele seguia detido.
O que diz a prefeitura
O G1 fez contato com a Prefeitura de Pirapora. O responsável pela assessoria de comunicação informou que a empresa que faz coleta de lixo na cidade é terceirizada e responde ao Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE). Por meio de nota, o SAAE disse que “repudia com veemência o fato ocorrido no Conjunto Morada do Sol”. A autarquia afirmou ainda não compactuar com qualquer tipo de agressão contra animais e que vai tomar todas as medidas cabíveis para punir o funcionário.

Comentários no Facebook