Vista do complexo minerário da Nacional de Grafite em Araçaji de Minas, no município de Pedra Azul (MG) – Foto: Reprodução/Google Earth

A Prefeitura Municipal de Pedra Azul, no Vale do Jequitinhonha, divulgou nota para esclarecer sobre barragens da mineradora Nacional de Grafite no município. Segundo a prefeita Silvana Maria Araujo Mendes, após a tragédia em Brumadinho (MG), os pedrazulenses estão preocupados com a situação dos depósitos de rejeitos instalados no distrito de Araçaji de Minas.

Leia a íntegra da nota divulgada pela prefeita Silvana Mendes: “Diante do trágico rompimento da barragem da Mineradora Vale, em Brumadinho, vitimando centenas de pessoas, todos nós Pedrazulenses estamos preocupados e, naturalmente, precisamos conhecer a situação das barragens da empresa mineradora Nacional de Grafite, sediada em Araçaji de Minas, distrito de Pedra Azul.
Em conversa com a diretoria da referida empresa, pedi alguns esclarecimentos sobre a situação das duas barragens, lá existentes. Na condição de um dos órgãos fiscalizadores, a Prefeitura Municipal de Pedra Azul encaminhou ofício, nesta manhã [28/01/2019], solicitando as documentações comprobatórias das duas auditorias realizadas em 2018, todas externas embora a empresa tenha a opção, por lei, de realizar uma delas internamente.
Temos em mãos o Plano de Ações de Emergência para Barragens de Mineração (PAEBM), emitido e entregue ao município em outubro de 2018, pela Nacional de Grafite, ao setor de Defesa Civil. Agendamos visita na quarta-feira, dia 30/01, às 14:00h, acompanhados da equipe técnica da empresa, que estará em Pedra Azul nesta data, para averiguações in loco.
O laudo da última auditoria externa, realizada em setembro de 2018, será apresentado e entregue à equipe da Prefeitura Municipal para apresentar aos munícipes ao longo desta semana.
O Diretor me tranquilizou sobre as condições das barragens e corrigiu algumas publicações nas redes sociais sobre a natureza dos rejeitos. A título de informação, no caso da Grafite, os rejeitos são diferentes das do acidente de Brumadinho e Mariana, pois não se trata de metais pesados.

Comentários no Facebook