*POR Deusdete Almeida

Na reunião da Câmara Municipal de Bocaiuva desta terça-feira, 29/01, os vereadores reconheceram que não havia fundamento o pedido de impeachment contra a prefeita Marisa Alves e votaram pelo arquivamento. A regularidade dos gastos de pessoal foi reconhecida ainda pelo Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais – TCEMG e através de parecer do órgão técnico do Legislativo Municipal.

O pedido foi feito por Áureo G. Andrade e Carmem Lúcia (que nem sequer compareceram à reunião de julgamento), sob alegação de que Marisa teria extrapolado o limite de gastos com a folha de pagamento dos servidores. Ficou provado no curso do processo que se tratava de uma denúncia infundada e que serviu apenas para desgastar a imagem do município de Bocaiuva.

A prefeitura de Bocaiuva, assim como todas as prefeituras dos municípios mineiros, enfrenta desde o início de 2017, as graves consequências dos atrasos e retenções de recursos por parte do Governo de Minas. Uma situação que afeta diretamente todas as contas do município, criando um verdadeiro caos financeiro e um ambiente que favorece tentativas de criar ainda mais insegurança na população e instabilidade política.

Como exemplo, ainda neste mês de janeiro, o sindicato dos servidores municipais entrou com ação na Justiça tentando obrigar o município de Bocaiuva a pagar aos professores municipais parcela do FUNDEB que é de responsabilidade do Estado de Minas Gerais. O débito em questão é por parte do Estado. A obrigação do município para com o pagamento dos professores está em dia. O município tem suas obrigações e honra seus compromissos. A difícil situação financeira dos municípios é notória e na decisão que indeferiu o pedido do sindicato, a Justiça foi enfática: “Não há como fazer o dinheiro aparecer a qualquer custo e no repente”.

A sensata decisão da Câmara Municipal, encerra este lamentável episódio. A Administração Municipal de Bocaiuva continua seu trabalho norteado pela retidão, transparência e responsabilidade como há muito tempo não se via nesta cidade, buscando a cada dia construir uma melhor qualidade de vida e melhores perspectivas aos seus cidadãos.

COMO FICOU A VOTAÇÃO:

Votaram a favor da cassação:
Beto Ferreira
Adalberto Fernandes
José Vieira
Isaías Alves
Nésio Leite

Votaram contra a cassação:
Odair Santos
Lélio Vieira
Ramon Morais
Vera Ferreira
Tinha de Zé Godinho
Pedro Cerol
Carlos Alberto Bequinha

Abstenção:
Odair Sorriso

Comentários no Facebook