24/03/2017- Rio de Janeiro- RJ, Brasil- A Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro confirmou nessa quinta-feira (23) mais dois casos de febre amarela no estado, cinco no total e todos moradores do municípios de Casimiro de Abreu, Baixada Litorânea. O paciente Abreu Jairo Bochorny está internado no Hospital dos Servidores, na capital fluminense, e Pedro de Oliveira Santos está sendo atendido em um hospital municipal de Casemiro de Abreu. Foto: André Borgres/Agência Brasília

Rapaz, de 22 anos, tomou a vacina em Montes Claros, três dias antes de viajar para Canarana (BA); ele tomava medicamentos para um tratamento dermatológico.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES) confirmou nesta segunda-feira (19) que investiga a morte de um jovem de 22 anos, morador de Montes Claros, no Norte de Minas Gerais, após complicações da vacina contra a febre amarela.
Segundo a SES, o rapaz foi vacinado em Montes Claros e viajou para Canarana (BA) a trabalho, onde chegou no fim de janeiro. Passados alguns dias na cidade, o rapaz se sentiu mal, apresentando vômitos. Ele foi internado em um hospital, porém, não se recuperou, sendo levado para outra instituição de saúde na capital, Salvador. Na cidade ficou novamente internado, mas não resistiu e morreu no sábado (17); de acordo com a SES, até o momento não há conclusão da causa do óbito.
Segundo a família, o rapaz tomava medicamentos para um tratamento dermatológico, com grande concentração de corticoide, e que foram várias as complicações após ele tomar a vacina da febre amarela. O jovem precisou ser entubado e necessitava de um transplante de fígado, porém não resistiu. O corpo do rapaz foi enterrado nesta segunda em Montes Claros.

Vacinação

Segundo a secretaria de Saúde, a vacina febre amarela pode apresentar eventos adversos graves e até fatais, e ocorrem nos 30 dias após a administração da vacina. Ainda segundo o órgão, não deve tomar vacina contra a febre amarela:
• Crianças menores de 9 meses de idade;
• Pacientes com imunodepressão de qualquer natureza;
• Pacientes que vivem com HIV com imunossupressão grave;
• Pacientes em tratamento com drogas imunossupressoras (corticosteroides, quimioterapia, radioterapia, imunomoduladores);
• Pacientes submetidos a transplante de órgãos, com imunodeficiência primária e com neoplasia;
• Indivíduos com história de reação anafilática relacionada a substâncias presentes na vacina (ovo de galinha e seus derivados, gelatina bovina ou outras).

Febre amarela

Entenda como ocorre a infecção e quais são os sintomas da febre amarela (Foto: Alexandre Mauro/Editoria de Arte G1)

A febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido por mosquitos vetores, e possui dois ciclos de transmissão: silvestre (quando há transmissão em área rural ou de floresta) e urbano. O vírus é transmitido pela picada dos mosquitos transmissores infectados e não há transmissão direta de pessoa a pessoa. Nas cidades é transmitida principalmente por mosquitos da espécie Aedes aegypti.
Os sintomas iniciais da febre amarela incluem o início súbito de febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. *Por G1 Grande Minas