Prefeito de Nova Porteirinha, de boné branco, ao lado do vice — Foto: Ascom prefeitura

*POR G1 Grande Minas

Juracy Fagundes (MDB) foi cassado por abuso de poder econômico e compra de votos; defesa diz que já recorreu da decisão junto ao Tribunal Superior Eleitoral.

A presidente da Câmara de Vereadores de Nova Porteirinha, Joélia Barbosa (MDB), tomou posse na manhã desta sexta-feira (10) como prefeita do município. Jóelia assumiu a vaga deixada por Juracy Fagundes (MDB), que teve o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE).
Fagundes e o vice-prefeito, Edésio Vital Neto, foram denunciados pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) por abuso de poder econômico e compra de votos nas eleições de 2016. Na denúncia, o MPE afirmou que os candidatos forneceram combustível para “qualquer pessoa que portasse determinado ticket, por ocasião do abastecimento”.
Durante as investigações, o MP apreendeu 244 tickets que teriam sido trocados por litros de gasolina. Ao todo, de acordo com a denúncia, foram adquiridos 1.575 litros de combustíveis, distribuídos aos eleitores do município e aos apoiadores da campanha de Juracy
Em 2018, o prefeito e o vice tiveram a cassação confirmadas no TRE. Na época, o Tribunal afirmou que a distribuição de combustível evidenciou a ocorrência do abuso de poder econômico. O prefeito e o vice solicitaram o efeito suspensivo da decisão.
Nesta semana o TRE derrubou o efeito suspensivo e os dois foram afastados dos cargos. No mesmo processo foi cassado também o vereador José Gonzaga (MDB), suspeito de envolvimento na mesma prática criminosa.
Por meio de nota, a assessoria dos políticos cassados afirma que a defesa já apresentou “recurso especial e liminar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre a decisão do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais”.

MP apreendeu lista com nome de apoiadores que receberiam gasolina — Foto: Reprodução/MP

Comentários no Facebook